cristoescritura

Por Anderson Rocha

Ao nos depararmos com a Palavra de Deus, vemos como o Senhor teve o cuidado de priorizar o mais importante assunto: A Revelação de Cristo. Ao longo do relato bíblico, podemos constatar que em toda sua história, o Cristo de Deus nos é revelado, página por página, gradativa e progressivamente. Desde seu início em Gênesis, Deus mostra logo nos primeiros capítulos que Cristo, a semente da mulher, derrotaria Satanás de uma vez por todas. Vemos ali a primeira promessa da revelação messiânica, quando lemos: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3:15). A história da Bíblia é uma história de redenção, isso em todo seu contexto, quer seja histórico ou teológico. Do jardim até a cruz, o Senhor nos conduz em graça pelo Seu Espírito, à revelação da Sua eterna salvação.

(mais…)

JARDINEIRO

Por Tim Barnett

Traduzido por Anderson Rocha – Artigo original aqui.

Eu acho que precisamos repensar o modo como entendemos evangelismo. Quando a maioria das pessoas pensa em evangelismo, elas pensam em levar uma pessoa a Cristo. Fazem com que elas orem, que firmem um compromisso, fechem o acordo. Você pescou a ideia.

Jesus chamou isso de colheita.

(mais…)

salvação

Por Clóvis Gonçalves

Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.” (Rm 8.29–30)

Introdução

Salvação e cinco pontos remetem ao acróstico TULIP, conhecidos como os cinco pontos do calvinismo: total depravação, eleição incondicional, expiação limitada, graça irresistível e perseverança dos santos. Mas neste artigo gostaria de enfatizar outros cinco pontos, relacionados com a ordem de salvação, os quais são geralmente referidos como elos da cadeia inquebrável da salvação divina, que começando na eternidade passada, mergulha na história e continua na eternidade futura.

(mais…)

Aba, Pai: a plenitude dos tempos

Posted by Flávio Santos in REFLEXÕES TEOLÓGICAS - (Comentários desativados em Aba, Pai: a plenitude dos tempos)

plenitudetempos

Por Flávio Santos

“O Filho de Deus tornou-se homem para possibilitar que os homens se tornem filhos de Deus” C.S. Lewis

A plenitude dos tempos

Filhos e herdeiros são as duas palavras usadas por Paulo para descrever o que somos para Deus. Esse ser para Deus foi conquistado por meio de uma decisão do amor eterno do Pai ao enviar o Filho para morrer por nós na cruz. E o Pai e o Filho enviaram o Espírito Santo para, dentro de nós, gerar a bênção da filiação e herança. Jonathan Edwards, falando sobre o texto, diz que os santos, através da união com Cristo, participam da relação filial dEle com o Pai e são herdeiros com Ele da felicidade no gozo do Pai, como está indicado pelo apóstolo Paulo em Gálatas 4.4-7:

(mais…)

O cristão e a plenitude divina

Posted by Marcelo Berti in REFLEXÕES TEOLÓGICAS - (Comentários desativados em O cristão e a plenitude divina)

planitudedeus

Por Marcelo Berti

“Portanto, vede diligentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, usando bem cada oportunidade, porquanto os dias são maus. Por isso, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito” (Ef.5.15-18)

As escrituras são claras quanto as demandas morais esperadas do cristão: Ele deve manter um padrão exemplar entre os não cristãos (1Pe.2.15ss), em obediência aos mandamentos de Cristo (1Jo.2.3ss) e aos mandamentos da lei (Rm.8.4) na demonstração de amor a Deus (Mt.22.37Mc.12.30) e aos outros (Rm.13.8; Gl.5.14). Entretanto, é importante afirmar que Deus não espera que o homem por sua força atinja tal padrão. O ser humano caído e resgatado pela Graça pode somente pela Graça alcançar as exigências divinas do cristianismo. Por isso mesmo é que o próprio Deus providencia o Espírito Santo como agente divino no homem para habilitá-lo a cumprir as exigências da lei:   (mais…)

O Evangelho sem o Julgamento Final não é o Evangelho

Posted by Stand to Reason in REFLEXÕES TEOLÓGICAS - (Comentários desativados em O Evangelho sem o Julgamento Final não é o Evangelho)

julgamentofinal

Por Tim Barnett

Traduzido por Semi Chung Azeka – Artigo original aqui.

Há uma tendência em nossa apresentação do evangelho que é o de nos posicionarmos em favor daquilo que faz as pessoas se sentirem bem – “Deus te ama. Ele deu sua vida por você. Ele quer se relacionar com você.” Tudo isso é absolutamente verdadeiro. Mas não representam o evangelho completo.

(mais…)

Divina parceria

Posted by Marcelo Berti in VIDA CRISTÃ - (Comentários desativados em Divina parceria)

divinaparceria

Por Marcelo Berti

O ministério cristão consiste em nada mais nada menos do que replicar (1Jo.2.3) e reproduzir (Jo.15.16) o ministério que Cristo iniciou durante seu tempo aqui na terra. Consiste em encarnar os valores do Rei (Mat.5.3-12), para então proclamar a mensagem do Reino (Mat.5.13-16). Consiste em fazer o que Ele fez do modo que Ele faria (Mat.28.19). E diferente do que se pensa, tal ministério não nos é pesado, nem enfadonho, pois sabemos que Aquele que nos convida a servi-lo é Aquele cujo jugo é suave e o fardo é leve (Mat.11.30).

(mais…)

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.