nietzsche04

Por Matheus Negri

Encerramos assim, esta breve série sobre o pensamento nietzschiano a partir de quatro chaves hermenêuticas: niilismo, morte de Deus, ressentimento e agora a sua crítica ao cristianismo enquanto religião estruturadora do ocidente.

[+] Leia mais

pressu03

Por Maurício Montagnero

3.4. Sua Aplicação e Contextualização

Faz-se necessário adotar uma linha de modo funilado para a devida aplicação, e tal linha coerente a ser adotada para os desafios contemporâneos é: Apologética Pressuposicionalista da Consistência Sistemática especificamente no seu terceiro teste da verdade, a relevância existencial. Tal abordagem está em uma linha tênue com a Apologética Experimental[1], a qual não pode ser vista dentro do sistema evidencial, pois não é de ordem racional, mas, sim, da vivência da fé. Isto reporta ao método indutivo/analítico, que é voltado também para o experimental que parte do efeito a causa, ou seja, da criação ao criador – dentro do evidencialismo a apologética histórica e profética usará tal método (argumentos internos), enquanto o restante ficará com o dedutivo/sintético (argumentos externos).

[+] Leia mais

eclesia

Por Alex Belmonte

Existem muitos equívocos e confusões quanto a alguns termos na esfera cristã. Entre esses, a própria palavra “Igreja” sofreu duros golpes de definições mal concebidas, tirando inclusive o real sentido de sua existência. A compreensão correta desses termos se torna importante para uma fiel abordagem em tudo que cerca a Igreja de Cristo.  [+] Leia mais

ancora

Por João Rodrigo Weronka

Texto base – Jo 17.1-21

Como é reconfortante saber que Jesus, tão próximo de sua entrega à morte de cruz, nos momentos finais e decisivos de sua existência em carne (pois Ele é Deus Filho e existe desde sempre e para sempre) proclamou a conhecida Oração Sacerdotal pelos Seus discípulos e por extensão por Sua igreja. Se você nunca teve a oportunidade de meditar nestas palavras, recomendo que antes que prossiga na leitura desta meditação que leia o texto de João 17.1-21.

[+] Leia mais

pressu02

Por Maurício Montagnero

3.2. Os Tipos[1] de Apologéticas Existentes – Resumo

Existe dentro da apologética o método dedutivo/sintético que é voltado para racionalidade e filosofia. Este método parte da causa ao efeito, ou seja, do criador a criação. Em contraponto ao método dedutivo existe o método indutivo/analítico que é voltado para o experimental/histórico que parte do efeito a causa, ou seja, da criação ao criador. A revelação cristã é comprovada por fatos e experiências históricas ou arqueológicas.[2]

[+] Leia mais

mentecoração

Por Eliandro da Costa Cordeiro

Leitura: Texto: Lc. 24:13-35, 44-53

Emaús
Sempre és o hóspede – nunca és o rei.
Muito mais derrotado que vitorioso.
Quando chegas e bates ao meu coração
Eu não te reconheço – há luz demais –
Debruço-me sobre as gravuras do caminho.
Quando te afastas – acompanhado pelo peixe azul –
Quando as formas se movem como num aquário,
Então eu levanto enternecido a lanterna
E logo começo a desejar que voltes,
Fascinado pela tua obscuridade.

– Murilo Mendes, Mundo Enigma (1942)

Discernir a espiritualidade cristã do misticismo nem sempre é fácil. O rev. Augustus Nicodemos percebe que o misticismo está muito próximo à tendência dos teólogos liberais, pois ambos buscam uma “espiritualidade” sem a mediação das Escrituras. Assim, infere-se que entre o místico e o espiritual estão as Escrituras como base à experiência, e não o seu contrário.

[+] Leia mais

fp2

Por Clóvis Gonçalves

Um artigo recente procura mostrar que o entendimento calvinista de Filipenses 2:13 erra por se basear na interpretação incorreta do termo energon.  A palavra traduzida como “efetua” (ARA e NVI), “opera” (ARC e TB) e “age” (NTLH) deveria, segundo o artigo, ser traduzido como “energizar”, “permitir agir” ou “empoderar”.  Ele reconhece que em outras passagens (p. ex. Mt 14:2) o termo também é traduzido como “operar”, mas aí o correto seria “estar presente” ou “dar condições”. Finalmente, faz-se uma analogia com “um ambiente de trabalho harmonioso”, o qual favorece que uma pessoa explosiva torne-se calma, mas não garante que isso aconteça.

[+] Leia mais

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.